A Revolução Cubana

 

A ilha de Cuba era um protetorado americano desde sua independência em 1898. Fulgência Baptista era ditador de Cuba desde 1934, com o apoio dos Estados Unidos.

A partir da década de 1950, iniciou-se uma luta contra o ditador Baptista, liderada por Fidel Castro, Raul Castro, Ernesto “Che” Guevara e Camilo Cienfuegos. A Revolução Cubana se iniciou com a tentativa fracassada de tomar o Quartel de Moncada (20/07/1956). Partindo de Sierra Maestra, os guerrilheiros chegaram ao poder em Havana em 1959. O ditador Baptista fugiu do país.

Fidel Castro implantou uma ditadura tão brutal quanto a anterior, fuzilando sumariamente todo e qualquer opositor ou traidor da revolução, incluindo homossexuais, camponeses, estudantes, sacerdotes e intelectuais, muitos deles o ajudaram a chegar ao poder. Houve uma fuga de milhares de cubanos para o território americano, principalmente para a Flórida.

O Presidente John Kennedy apoiou a frustrada tentativa de invasão da Baía dos Porcos em 1961. Em seguida Fidel Castro anunciou que Cuba era socialista e obteve o apoio da URSS. O governo americano determinou o Embargo ou Bloqueio Econômico contra Cuba.

Kruschev, ditador soviético, passou a manter a ditadura cubana com petróleo, armas e até comida, além de enviar médicos e engenheiros. Em troca, a URSS instalou bases de mísseis atômicos em Cuba, gerando a famosa Crise dos Mísseis, que quase levou a uma guerra entre as superpotências.

O governo cubano passou a apoiar movimentos de rebelião na África e na América Latina. Em 1968, o guerrilheiro Che Guevara foi morto nas selvas da Bolívia.

Com o fim da URSS, na década de 1990, o governo cubano perdeu os recursos que mantinham o país, mas a ditadura se manteve, usando ainda mais violência. Em 1º de Agosto de 2006, Fidel Castro afastou-se oficialmente do governo para se tratar de um Câncer. Seu irmão Raul Castro passou a governar o país. Em 2010, Raul Castro anunciou a demissão de milhares de funcionários públicos e Fidel reconheceu o fracasso do socialismo em Cuba, mas as perseguições aos opositores do regime continuam. Em 2016 Fidel Castro Morreu.